Monday, May 28, 2007

Havia um tempo -que não há mais-
onde as coisas não faziam mais sentido na minha cabeça
Onde as crenças todas tão inúteis pareceram
E o fogo que haje sobre o fazer das coisas
era brando e constante
firmado na certeza de apenas existir.


E esse tempo- que havia, e não há mais-
esteve em mim completo
-dissabor, desastre, perturbação, desespero, displiscencia, auto-mutilação...
passou
restou o que sobrou

Mas agora- o que há, e haverá mais-
é a certeza de que o que sobrou é pouco
eu sou mais, eu tenho mais
isso, por que você chegou.




e dane-se a beira do abismo, eu quero aprender a voar

4 comments:

Rédi Bortoluzzi said...

É... Isso aí!

Morpheus said...

ja era tempo ¬¬
:P

日月神教-任我行 said...
This comment has been removed by a blog administrator.
Anonymous said...

Mas quanto tempo espero aquele teu texto lindo... E o mar levou?