Sunday, October 14, 2007

2 Meses depois... a Árvore dos segredos 1






A primeira montagem de a Árvore dos segredos trouxe resultados bem interessantes... Primeiro que viajar de ultima hora, sozinha (como sempre quis fazer...) já foi bem bacana, além de objetivo, já que viajei na segunda a noite para estar de volta na quarta de manhã. Chegando lá foi logo encontrar os rapazes, conhecer um pouco da cidade sendo guiada pelo Marcanzio que me apresentou a praça principal, aos vários comércios com o nome do Padre Cícero, ao memorial do mesmo onde fomos testemunhas de eventos sobrenaturais... rs- ao Cemitério, a igreja, o centro cultural do BNB, a casa do Seu Lunga com o carro preso na garagem...

Me falou também sobre as experiências curiosas em Souza, e de como foi curioso levar uma experiência de intervenção para um espaço rural...
No nosso pós-almoço foi a hora de começarmos as intervenções. Saímos com o grupo, fizemos o "VENDE-SE ARTISTA" no mercado; preparamos alguns materiais; montamos a árvore; depois traçamos o "Vértice" e mais uma vez o "vende-se". No fim da noite arrumei minhas bagagens e peguei, feliz, meu rumo de volta para Fortaleza.
A montagem do trabalho começou por volta das 17:00 hs, no terminal de onde chegam e saem os ônibus das cidades vizinhas e do Horto. Havíamos passado mais cedo e visto as possibilidades de montagem, bom, havia um bom gancho... A inexperiência minha apareceu na primeira tentativa de montagem, meu medo de cair, a pouca funcionalidade de amarrar as cartas uma por uma...
Então a boa idéia de fazermos uma "linha de produção", um fura o envelope, outro passa a linha, outro amarra... tudo ali na calçada, já intervia. Sem querer virou espetáculo...
Penduramos as cartas no gancho, e ao contrário do que eu havia imaginado não demorou nem um pouco, foi só colocar para as pessoas se aproximarem. Eu também esperava que elas lessem e devolvessem a seus envelopes(que ingenuidade a minha), mas ao contrário disso, elas se apossaram como se aquelas correspondências fossem destinadas a elas.
Vi um rapaz ficar muito feliz por que achou dois postais do RJ com os escritos "só falta você aqui"; uma menininha perguntando se era de graça; a Senhora que tentava remontar uma carta rasgada... Ai eles entravam e saiam dos ônibus lendo, e talvez pensando se aquela carta fosse para eles, ou quem teria mandado, quem teria recebido, quando isso aconteceu...
O trabalho durou uma hora e meia, o suficiente para só restar a carta mais alta e a garotinha pulando tentando alcança-la.